Mães e Pais na 1ª Pessoa

A influência da qualidade do sono na saúde mental pré e pós-parto.

 

É mais do que conhecido que quer durante a gravidez, ou no pós-parto, o sono de uma mulher sofre várias e intensas alterações.

No 1º trimestre a presença de náuseas, vómitos, o aumento da frequência urinária, assim como as preocupações pela construção do seu papel parental e as preocupações referentes ao estado de saúde do bebé, são muitos dos motivos que  podem perturbar o sono da mulher.

No 2º e 3º trimestre, as dores dorsolombares, os movimentos fetais, o desconforto abdominal, as cãibras, as expectativas do parto, entre tantos outros, continuam a tornar a atividade do sono, um momento de pouca qualidade, o que muitas vezes provoca sonolência diurna e um cansaço extremo.

Para terem uma noção, cerca de 84% das mulheres, relata ter um ou mais sintomas de insónia nas várias semanas de gravidez, com 30% das últimas, a referirem que  nunca tiveram uma boa noite de sono durante a gravidez.

A avaliação deste facto, torna-se muito importante, pois sabe-se hoje que as alterações do sono na gravidez, assim como a vivência de insónia aumentam a probabilidade da mulher sofrer de sintomas depressivos/depressão pós-parto.

No pós-parto, o padrão de sono-vigília das mães sofre alterações significativas devido a uma diminuição abrupta das hormonas que estavam associadas à atividade/função da placenta  e também como resultado do padrão irregular do ciclo de sono-vigília do recém-nascido.

Para além disso, sabe-se que a duração total do sono diminui  do primeiro trimestre de gravidez até um mês no pós-parto e a eficiência do sono é inferior nos três meses pós-parto comparativamente à gravidez.

 

 As mulheres que referem privação de sono significativa e cujos bebes têm problemas em dormir podem ter maior risco de virem a sofrer uma depressão.

No entanto, não são só os últimos referidos que influenciam o sono da mulher no pós-parto, existem outros fatores importantes que importa referir como, a idade da mãe, o tipo de parto, o tipo de alimentação do bebé, o temperamento do bebé, o regresso ao trabalho, o número de crianças em casa, a disponibilidade do parceiro ou de outros membros da família para ajudar durante a noite.

Perante todos estes factos, há alguém por aí que tenha usufruído de boas noites de sono durante a gravidez e/ou no pós-parto?

Blog | Mulher, Filha & Mãe