Espaço Família | Como Cresceram

Terapia do Sono

22 de Maio de 2013

A hora de dormir

1012884_10151864405586704_1442999030_n

Há dias em que não entendo como é que as nossas bisavós conseguiam ter tantos filhos! Penso nisso frequentemente ou por causa de experiências de clientes ou pela minha própria experiência enquanto mãe.
Como é que se orientavam com vários bebés e crianças entre tarefas domésticas e biberões e fraldas de pano e doenças e mimos e birras e medos? E não menos importante: como é que conseguiam pôr tanta criançada a dormir?
É certo que hoje em dia o nosso ritmo de vida é outro. Chegamos a casa estafadas, com os olhos em bico por estar o dia inteiro ao computador, com os pés a doer por causa daqueles sapatos lindos, (mas tão desconfortáveis!) e temos pela frente uma série de tarefas infindáveis. Com mais de um filho em casa a coisa torna-se ainda mais herculiana. Jantares, banhos, miminhos, histórias e beijinhos de boa noite. E a luta para adormecer!
Uma das razões que contribuiu muito para o sucesso das nossas antepassadas foi a falta de luz eléctrica! Não havendo televisão todos se deitavam cedo, o que “dá saúde e faz crescer”. Isto porque o nosso corpo é extremamente inteligente. Quando começa a escurecer lá começa a glândula pineal a produzir Melatonina, também conhecida por hormona do sono. Somos tão perfeitos que o nosso relógio interno se ajusta até à luz solar.
Muitas das mães que me procuram deitam tarde demais os seus filhos. Ou porque acham que eles estão muito despertos às 8h da noite ou porque têm esperança que assim eles durmam até mais tarde. É um erro crasso. Os pequenotes ficam demasiado cansados, agitados e até parecem eléctricos. Adormecer assim torna-se muito mais difícil. Não conseguem tranquilizar-se facilmente e acabam por fazer da hora de ir para a cama uma guerra permanente. Deitar cedo os bebés e crianças em idade escolar é, por isso, indispensável se queremos que eles durmam bem durante a noite.
Talvez não soubessem o que é a Melatonina, mas como diz uma pessoa que eu conheço: “antigamente é que era!”.

Filipa Sommerfeldt Fernandes
Sleepy Time – Especialista do Sono
Facebook