Espaço Família | Como Cresceram

Saúde

13 de Abril de 2015

A Diarreia

bebe

A diarreia pode ser definida como um aumento da frequência de dejeções e/ou diminuição da consistência das fezes. Trata-se de uma doença aguda de duração limitada (3 a 7 dias) e que pode conduzir a desidratação e perda ponderal, sobretudo em lactentes  (idade inferior a 1 ano).

Pode estar associada a diversas causas, como a infeciosa (viral ou bacteriana), alimentar (ingestão de alimento em condições deterioradas ou água inquinada, por exemplo água de poço), ou reação a medicamentos. A mais frequente é a infeciosa (viral), geralmente pelo Rotavírus (para o qual existe vacina, Rotateq ou Rotarix, que deve ser iniciada aos 2 meses e efetuada até mais ou menos aos 6 meses), Adenovírus ou Enterovírus que se transmitem através de contacto direto com a pessoa infetada, objetos contaminados (brinquedos, chuchas) e ainda pode estar associada a uma menor higiene pessoal e doméstica (contacto com fezes, frequência de infantários).

O maior risco associado à diarreia é a desidratação, que pode ocorrer em qualquer idade, sendo mais frequente nas crianças com doenças crónicas ou nas crianças com menos de 6 meses. Normalmente, este risco relaciona-se com uma má nutrição de base, mais de 8 dejeções por dia e outros sintomas associados, nomeadamente febre e vómitos.

Como tratar?

Numa criança com este quadro, deve existir vigilância constante do seu estado, frequência (e quantidade) das dejeções, e sintomas associados, como febre e vómitos.

Nos lactentes, a amamentação deve ser mantida e aumentar a sua frequência.

Promover a ingestão de líquidos em pequenas quantidades (de preferência à colher de 3 em 3minutos ou de 5 em 5minutos), durante todo o dia. Preferencialmente, deve oferecer-se soros de reidratação, como Miltina ElectrolitOralsuero, chá preto fraquinho açucarado (água chalada) e com uma pedrinha de sal ou Ice Tea, nas crianças mais velhas. Poderá fazer também água de arroz ou água de cenoura para reconstituir biberons, ou mesmo oferecê-las isoladamente, também à colher. Estas águas poderão ser utilizadas para fazer papa, substituição da água normal, por exemplo.

Não Dar Água!!! Não insistir para comer!!!

A dieta é a parte mais importante do tratamento da doença. Pode oferecer:

– Sopa de Cenoura.

– Carne/Peixe grelhados ou cozidos.

– Banana.

– Papa de arroz feita com água (ou água de arroz/cenoura).

– Leite sem lactose (existem fórmulas para lactentes no mercado, como a Nutribén Sem Lactose, Novalac AD) ou leite adquirido nos hipermercados (Mimosa, Vigor) para crianças com mais de 12 meses;

– Iogurtes sem lactose.

A criança deve ser observada pelo seu médico assistente sempre que tiver febre e vómitos associados, ou se a diarreia persistir (apesar da dieta) durante 3 dias.

Dra. Paula Vara Luiz 

Pediatra | O blog da Tia Paula

É Diretora clínica da Clínica Paula Vara Luiz, serviços médicos, situada na Travessa do Forno 7-B 2050-114 Aveiras de Cima. É Médica especialista em pediatriaTrabalhou na Maternidade Alfredo da Costa, no Hospital de Santa Maria, Hospital de Santa Marta, Hospital de Dona Estefânia, Hospital da Horta (Açores), no Hospital de Vila Franca de Xira e Centro Hospitalar do Oeste (Torres Vedras). 

Anteriormente foi responsável pela Rubrica de Pediatria, semanalmente, da Rádio Lezíria, em Vila Franca de Xira. É autora de artigos para a Revista ÚNICA do Jornal Expresso. Atualmente exerce só medicina privada. Possui um vasto curriculum, com vários prémios nacionais e internacionais, assim como distinções. Encontra-se já com uma longa carreira, o que lhe permite uma grande experiência na prática clínica aliada ao seu “senso clínico”, tornando-a uma pediatra de excelência nos nossos dias.