Espaço Família | O nosso 1º Filho

Nutrição

13 de Julho de 2016

5 Dicas para quem vai iniciar os alimentos sólidos ao bebé

introduçao-alimentar-para-bebês

1- Escolher o momento:
A melhor alltura do ponto de vista de desenvolvimento e maturidade gastro-intestinal para iniciar os sólidos é aos 6 meses de vida da criança. Até aos 6 meses a sua alimentação deverá ser aleitamento materno exclusivo em horário livre (salvo excepções indicadas por um profissional de saúde e/ou consultor em lactação).
Por vezes, as crianças podem dar sinais de querer iniciar esta etapa mais cedo outras vezes mais tarde! Porque cada criança é única e devemos respeitar o seu tempo.

Mais dicas: http://www.bebesaudavel.com/2016/01/18/quando-introduzir-alimentos-solidos-parte-i/ 

2- Opções saudáveis e naturais:
Não precisam de iniciar os sólidos com uma papa (que por sinal podem ser daquelas cheias de açúcar e com 1% de fruta…). Pode ser simplesmente uma fruta ou um legume… Algo simples e que o bebé consiga agarrar para explorar a sua textura, cor e sabor.

3- Usar o método Baby Led Weaning (BLW):
O que nos leva ao novo método (que de novo não tem nada, porque fazemos BLW desde o início da nossa espécie!). O bebé ao tocar e manipular com a sua mão a comida, para além de desenvolver as suas competências motoras e cognitivas, tem um interesse maior na comida evitando os niquentos e esquisitos que não gostam de bróculos ou arroz…
Este método ajuda a que o bebé se torne mais activo e independente no momento da sua alimentação, faz com que as refeições possam ser em família e que não tenha que cozinhar algo diferente para a criança.

Vantagens para o bebé:

  • Os bebés aprendem a mastigar e desenvolvem toda a musculatura facial de forma mais completa;
  • Engasgam-se muito menos comparativamente com a colher;
  • Respeita o tempo de cada bebé;
  • O bebé compreende que existem diversos sabores e texturas, fomentando um interesse em todos os alimentos não só nos doces e menos saudáveis;
  • Desenvolve o a motricidade fina e o desenvolvimento em geral da criança.

4- Adequar as expectativas:
O bebé não irá comer logo um prato inteiro, vai demorar algum tempo porque vai gostar de mexer na comida, além do que o seu estomâgo é pequeno e não precisará de uma quantidade de alimentos como o adulto.
Por isso com calma este momento será prazeroso para toda a família, fazendo com que a criança crie uma boa relação com a comida.
Complemente sempre as refeições com leite materno, dado que este alimento é o mais nutrivito para o ser humano e se sobrar algo no prato, o leite materno assegura os nutrientes e hidratação para o bebé.

Mais dicas: http://www.bebesaudavel.com/2016/02/19/que-quantidade-de-alimento-devo-dar-ao-meu-bebe/

Pode ser um pouco intimidante e assustador… “E se o bebé se engasga? E agora vai ficar tudo sujo!”
Existe pouca literatura sobre este método e receitas… mas a sua essência é o bebé explorar a comida que a família come. Isto implica:

– Que a família coma de forma saudável

– Preparação de alguns alimentos de forma segura para evitar engasgamento

– Os pais saberem realizar a manobra de desengasgamento

– Os bebés que fazem BLW engasgam-se menos porque têm capacidade e reflexos para resolver melhor quando um alimento vai para o sítio errado 😉

Esta opção de fazer BLW depende de nós e do nosso bebé. Efectivamente é melhor para a alimentação do bebé e cria um interesse maior na comida…

5- Evolução dos alimentos:
Teorias recentes defendem que com este método é possível oferecer todos os alimentos (desde que saudáveis) ao bebé para criar imunidade e diminuir a incidência de alergias. Por outro lado, a teoria de introduzir 1 alimento e esperar cerca de 3 dias está a ser substituída, porque de facto este método facílita o processo de alimentação do bebé, assim como a sua imunidade.

image

 

 

 

 

Enf. Carmen Ferreira  

Picture1