Atualidade

31 de Julho de 2015

3.º Encontro Nacional da Amamentação será no Parque de Santa Catarina no domingo

Evento visa assinalar a Semana Mundial do Aleitamento Materno que este ano decorre de amanhã até 7 de Agosto.

No sentido de celebrar mais uma Semana Mundial de Aleitamento Materno, que decorre de amanhã, 1 de Agosto, até ao dia 7, em Portugal e pelo terceiro ano consecutivo, organiza-se o Encontro Nacional de Amamentação por todo o país, já este domingo, 2 de Agosto, pelas 17h30. No caso da Madeira, será no Parque de Santa Catarina.

“Em 2013, o que começou como uma iniciativa para juntar um grupo de mães num encontro agradável, onde seria abordado o tema da amamentação, a partilha de experiências e as dúvidas que habitualmente surgem à mãe lactante, atingiu proporções maiores do que o esperado”, informa a organização.

Assim, “o que foi um encontro em 6 pontos do país no primeiro ano, rapidamente passou a ser uma iniciativa pela qual varias mães aguardam com ansiedade, que já se estende a 15 cidades e vilas espalhadas por todo o Portugal continental e Ilhas”, acrescenta, mais precisamente em Braga, Vila Real, Porto, Coimbra, Óbidos, Lisboa, Almada, Évora, Portimão, Faro, Funchal, Horta-Faial, Ponta Delgada-S.Miguel, Angra do Heroísmo-Terceira, Praia da Vitória-Terceira.

Por outro lado, “o tema da semana mundial de aleitamento materno deste ano de 2015 é a amamentação e o trabalho”, um tema sempre na ordem do dia e que vem a propósito das “recomendações da Organização Mundial de Saúde para todos os países (mais desenvolvidos ou menos desenvolvidos)”, que “são as de manter a amamentação exclusiva (sem introduzir qualquer outro alimento ou líquido) até aos 6 meses de idade do bebé”.

Ou seja, explica o texto da organização deste Encontro, “a partir daí, é introduzida a alimentação complementar que, como o próprio nome indica, funciona como complemento ao aleitamento materno, sendo este o alimento principal do bebé até ao primeiro ano. Depois desse período, a OMS aconselha o aleitamento materno até, pelo menos, aos dois anos de idade, já a par de uma alimentação completa e equilibrada”. E aí é que residem os problemas de toda a ordem.

“Vistas estas recomendações, e analisando as condições relativas à licença de maternidade em Portugal, para a mãe trabalhadora é complicado manter o aleitamento materno exclusivo até aos 6 meses”, lembra. “Aliados aos insuficientes 5 meses de licença de maternidade estão as pressões sociais, a falta de informação de algumas mães a respeito da amamentação, a falta de apoio de alguns profissionais de saúde que incentivam ao desmame precoce e a insistência nos famosos mitos já contrariados pela ciência, tais como ‘leite que secou’ ou ‘leite fraco’.”

Por isso, reforçam, “um dos nossos principais objetivos destes encontros é mesmo o de desmistificar todas essas ideias erradas e o de mostrar que é possível para qualquer mãe saudável amamentar os seus filhos pelo tempo que desejarem”.

Para a organização do evento, contam “todos os anos com o apoio voluntário de Conselheiras de Aleitamento Materno, devidamente formadas pela OMS/UNICEF, de profissionais de saúde (enfermeiras ou médicas) e de mães empenhadas em partilhar as suas experiencias e em ajudar grávidas e recém-mamãs neste percurso que é a amamentação”, para o qual toda e todos os interessados estão convidados.

Fonte: dnoticias.pt