Espaço Família | Somos um Casal

Educação Financeira

28 de Janeiro de 2015

3 dicas para poupar dinheiro

poupar_dinheiro

É daquelas pessoas que acha que não ganha dinheiro suficiente para poupar? Ou que já tentou de tudo e, mesmo assim, não consegue ter aqueles ‘euros extra’ para alguma emergência? Não desespere porque há sempre alguma coisa a fazer.

Jeremy Vohwinkle, especialista em planeamento financeiro do site About.com, englobou três dicas que o vão ajudar a poupar dinheiro:

1. Crie um orçamento

Já sei o que está a pensar: “Que chatice!”, “Não me apetece nada!”, “Qual é o objectivo disto?”. Uma coisa é certa: não é possível poupar dinheiro sem saber onde o gasta. E, para isso, tem de perder tempo e perceber para onde é que o seu dinheiro vai.

A ideia não é controlar cada cêntimo, mas perceber quanto gasta com a casa, o carro, as crianças, no supermercado, entre outras despesas que possa ter. No momento em que tiver uma ideia geral, vai poder mais facilmente identificar os problemas ou onde está a gastar dinheiro sem necessidade. Consequentemente, torna-se mais fácil corrigir e poupar algum.

2. Ponha logo algum dinheiro de parte

É importante olhar para as suas poupanças com a mesma seriedade com que olha para o pagamento das suas contas.

A primeira coisa que fazemos quando chegam as contas é tratar disso o quanto antes e, muitas vezes, acabamos por não pôr nenhum dinheiro de parte, porque aparece sempre mais qualquer coisa para pagar.

O ideal é ter uma transferência automática na conta onde cai o seu ordenado para que, todos os meses, saia uma quantidade especifica que vá para a sua poupança antes que tenha hipótese de a gastar. E assim, se tiver alguma emergência, já sabe que tem sempre onde recorrer.

3. Gaste menos do que aquilo que ganha

Parece uma questão lógica (e básica), mas há muitas pessoas que não o fazem. Não é possível poupar dinheiro se gasta mais do que recebe. Quando ganha 1000 euros por mês, não pode gastar 1.500 euros. E não vale recorrer a cartões de crédito ou empréstimos porque, mais tarde ou mais cedo, vai ter de pagar o que deve – e, muitas vezes, com juros.

Ter esta atitude, durante meses a fio, só piora a situação e facilmente vai ver-se a braços com uma dívida muito elevada para pagar. Para não se ver num aperto, a tendência é ir pagando, logo acaba por não poupar dinheiro nenhum.

Faça um esforço e controle-se. Analise bem as suas contas e as suas despesas para não passar os próximos anos a pagar por caprichos momentâneos.

Fonte | Sol