Mães e Pais na 1ª Pessoa

Sofia Fernandes 

A Nuvem da Sofia

1,2,3,4,5ª doença

Há uma semana, enquanto esperava pela consulta dos 8 meses, ligou-me a minha vizinha para dizer que a filha mais nova estava com a “quinta doença”. Eu, que confesso a minha ignorância, achei que seria a quinta doença da M. este ano, mas depois percebi que era um vírus típico de crianças e que já desenvolvo mais à frente.

Amorosa, lembrou-se de perguntar ao pediatra se seria perigoso para grávidas porque tínhamos estado juntas na véspera.

Uma vez que a fase de contágio já tinha passado, em princípio não havia problema, mas aproveitei para perguntar também ao meu obstetra. Segundo ele, não era muito bom, mas uma vez que estou perto do fim, em princípio o bebé já não seria afectado.

Já não posso dizer o mesmo da C. e da M. Logo no dia seguinte, a C. ficou com febre, não muito alta, e umas manchas encarnadas nos lados na cara que mais parecia ter sido esbofeteada.

Momento Wikipedia:

A quinta doença, cujo nome correto é “Eritema Infeccioso”, é uma doença infecciosa da infância, geralmente inócua, causada pelo parvovírus B19 (muito parvo mesmo).

Torna-se contagiosa por contato direto por secreções e causa epidemias em crianças. É uma das cinco doenças com exantema (borbulhas) da infância; as outras quatro são o sarampo, a varicela, a roséola e a rubéola.

Foi demonstrado que metade da população adulta sofreu infecção por este vírus nalguma altura da vida, mas nem sempre se manifesta no exterior.

O parvovirus B19 dissemina-se até à medula óssea, onde se multiplica no interior das células precursoras dos glóbulos vermelhos, destruindo-os. Em pessoas normais, a velocidade de destruição não causa problemas maiores, mas em pessoas que já sofriam de anemia, a redução dos glóbulos vermelhos pode levar a crises.

Em pessoas adultas saudáveis não costuma causar qualquer sintoma. Nas crianças, causa muitas vezes erupções cutâneas na cara, tronco e membros. A mancha avermelhada nas bochechas das crianças é semelhante à que surge após uma bofetada, daí o seu nome de “síndrome da bofetada”. A sua evolução é quase sempre benigna; no entanto, nas grávidas, pode causar abortos e mal-formações mas com muito menor frequência que outras doenças como a rubéola.

…..

Não há tratamento específico nem é necessário porque é praticamente inócua, mas eu dei Ben-u-ron porque tinham febre.

O que podia ter sido uma semana tranquila com direito a praia foi assombrada por mau estar e borbulhas no corpo que fariam um sucesso junto das outras mães que estivessem na praia, como podem calcular… O mais engraçado é que, se já existem borbulhas, é porque a doença já está a desaparecer!